Consideremos que é preciso diversos profissionais para a geração de um produto em sua empresa. Mesmo o mais simples serviço, como, por exemplo, aparar uma grama, necessita não só de máquinas, mas de manutenção das máquinas, de energia elétrica, de vestimenta adequada, de sistemas de limpeza. Se quisermos inserir o design neste conjunto de atividades é suficiente pensar em “diálogo”. Se fosse possível resumir a contribuição que o design traz para a micro e pequena empresa eu diria que design promove o diálogo entre as diversas especialidades envolvidas na venda de produtos e prestação de serviços.

Este diálogo baseia-se no esforço para colocar em evidencia as diversas exigências das diferentes áreas profissionais e promover um equacionamento simultâneo. O cortador de grama deve ser leve para poder ser transportado, mas deve também ser protegido da ação de chuva além de ser isolado de modo a não permitir que a energia elétrica seja descarregada no operador. A lista de exigências pode ser bastante extensa.

A maior complexidade irá exigir que este diálogo seja bem conduzido, pois isso pode significar menores custos de produção e uma melhor eficiência a ser oferecida para o cliente final. Fazer design pode ser promover diálogo e buscar montar as equações em que as variáveis dos diversos atores – profissionais das diferentes áreas – estejam equilibradas de modo a satisfazer a todos.  A tarefa tem dinâmicas próprias e processos que facilitam a obtenção de resultados. Pode ser mais fácil ainda imaginar o que esperar de um designer. Espere processos claros, métodos definidos, definição de cenários, etapas e prazos para execução e acompanhamento do projeto até que sejam atingidos os resultados.